quarta-feira, 30 de junho de 2010

Voltaremos em Julho. Desculpa pelos transtornos!


Caros leitores, estaremos sem atualização deste blog por alguns dias. Retornaremos com força TOTAL e muitas novidades em julho. Até lá esperamos contar com sua compreensão.
Fiquem de OLHO!

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Em Minas, Dilma aumenta vantagem sobre Serra


Ultrapassagem(Click na imagem para ampliar)

Dilma Rousseff tem 37% contra 32% de José Serra
do jornal mineiro O Tempo

A nova pesquisa Sensus também traz os números da disputa presidencial. Ela mostra a consolidação da candidata do PT, Dilma Rousseff, sobre seu principal adversário, José Serra, do PSDB. Dilma aparece com 37,3% contra 32,1% de Serra. Considerando a margem de erro de 2,5 pontos percentuais, a petista mantém a dianteira – mesmo que por dois décimos – em sua pior estimativa contra a melhor do tucano.

A candidata do PV, Marina Silva, aparece com 7,3%. Outros 20,6% dos entrevistados disseram que vão votar em branco ou nulo ou se disseram indecisos. Os demais oito concorrentes à Presidência não ultrapassaram a marca de um ponto.

O levantamento anterior, de maio, apontava empate técnico entre Dilma e Serra. A diferença entre eles, que era de um ponto percentual em favor da ex-ministra, cresceu para 5,2.

Provando que a população já conhece sua candidatura, a petista lidera também no cenário espontâneo. Ela recebeu menção de 24,3% dos eleitores contra 18% de Serra e 4,2% de Marina. No entanto, 44,5% disseram estar indecisos ou pretendem votar em branco ou nulo.

Na simulação de segundo turno, porém, o tucano mantém a liderança, mas com valor inferior à margem de erro. Ele aparece com 41,7% e a petista, com 40,5%.

terça-feira, 15 de junho de 2010

Câmaras de Manari e Nazaré têm contas rejeitadas



O TCE julgou irregulares as prestações de contas das Câmaras Municipais de Manari e de Nazaré da Mata, ambas relativas ao ano de 2008. As decisões foram proferidas pela Primeira Câmara, que aplicou multas, respectivamente, nos valores de R$ 3.500,00 e de R$ 4.500,00 aos ex-presidentes José Eraldo da Silva (Manari) e José Jerônimo Valeriano (Nazaré).

O relator do processo da Câmara de Manari foi o auditor substituto Ricardo Rios. Segundo ele, a irregularidade que motivou a rejeição das contas foi a não contabilização e o não recolhimento da contribuição previdenciária patronal no valor de R$ 75.776,25. Ricardo Rios frisou que essa falha constitui crime de sonegação, previsto no Código Penal, e foi cometida de forma reincidente pelo gestor.

O relator ressaltou que a não contabilização das contribuições também elevou as despesas de pessoal acima do limite de 8% determinado pela Constituição. Cópia do processo será encaminhada ao Ministério Público de Contas para fins de representação contra o ex-presidente junto ao Ministério Público Estadual.

NAZARÉ - Em relação à Câmara de Nazaré da Mata, falhas no repasse das contribuições previdenciárias também motivaram a rejeição das contas. Parte da contribuição patronal no valor de R$ 61.740,00 e as contribuições relativas aos descontos dos vereadores não foram repassadas ao INSS.

De acordo com o relator do processo, conselheiro Marcos Loreto, também foi verificada uma insuficiência financeira no final do exercício no montante de R$ 91.249,00.

A Primeira Câmara determinou que cópia dessa decisão seja enviada ao INSS para as providências que o órgão julgar necessárias.

Diário Oficial de Pernambuco / Gerência de Jornalismo (GEJO), 15.06.10

Brasil "acorda" no segundo tempo e supera a Coreia do Norte



JOHANNESBURGO - A tradição das Copas se manteve e o Brasil novamente estreou com vitória, agora por 2 a 1 sobre a retrancada Coreia do Sul. Nesta terça-feira, no Ellis Park Stadium, a Seleção teve dificuldades iniciais, mas se impôs no segundo tempo e marcou com Maicon, em gol espírita, e depois com Elano em ótimo passe de Robinho. A última vez que os brasileiros não ganharam no primeiro jogo em um Mundial foi em 1978, quando empatou com a Suécia em 1 a 1.

Primeiro tempo: dificuldades com a marcação

Contra um adversário bastante recuado, com três zagueiros para cercar Luís Fabiano e dois alas fechando a marcação sobre Elano e Robinho, o Brasil teve enormes dificuldades em penetrar na área norte-coreana e só finalizou três vezes no gol defendido por Ri Myong Guk. Kaká, em baixo ritmo, também errou passes e foi anulado pelos marcadores.

Os jogadores brasileiros mais acesos foram Maicon e Robinho, que no início do jogo apareceu bem pela esquerda e passou ótima bola a Kaká, que se atrapalhou na hora de finalizar. Depois, o próprio Robinho tentou, mas errou o alvo.

Aos 13min, enfim, o Brasil acertou o gol, mas o chute de Elano não ofereceu grande perigo à Coreia do Norte. Depois foi Robinho que apareceu livre na área e bateu, mas também muito fraco, sem ameaçar os asiáticos.

Ofensivamente, a Coreia do Norte esteve sempre refém da inspiração de Jong Tae Se. Em um lance, o único atacante da equipe norte-coreana passou entre quatro marcadores brasileiros e chutou fraco, nas mãos de Júlio César. Depois, levou fácil a marcação de Juan mas errou o alvo na hora de finalizar.

Na última parte do primeiro tempo, o Brasil, que acabaria os 45 minutos com 67% de posse de bola, usou e abusou da troca de passes sem objetividade, quase sempre acabando com a bola nos pés do Maicon em cruzamentos cortados pela firme defesa da Coreia do Norte.

Segundo tempo: mais inspiração e gols

Sem nenhuma substituição, o Brasil voltou para o segundo tempo com uma atitude mais incisiva e já nos minutos iniciais ameaçou a Coreia do Norte. Primeiro em falta cobrada por Michel Bastos, que assustou, e depois em contra-ataque veloz: de Kaká para Robinho, que desperdiçou.

O primeiro gol na Copa surgiu, enfim, aos 10min. Em bela virada de jogo que saiu dos pés de Felipe Melo, Elano entrou na área e passou a Maicon, que mesmo sem ângulo chutou com violência entre o goleiro norte-coreano e a trave, furando a retranca asiática.

Com vantagem no placar, o Brasil continuou em cima da Coreia do Norte e criou oportunidades. Michel Bastos chutou novamente de fora, levando perigo. Depois, em novo contragolpe, Kaká conduziu bem e passou a Robinho, que serviu Luís Fabiano para boa finalização.

Perdendo a partida, a Coreia do Norte se viu obrigada a buscar o jogo e abriu os espaços que o Brasil de Dunga adora aproveitar. Assim, aos 26min, o contra-ataque terminou em gol. Robinho acertou belo passe em profundidade para Elano, que deslocou o goleiro adversário e fez o segundo brasileiro.

Quando a vitória parecia tranquila, com o Brasil colocando o pé no freio e esperando o jogo acabar, ainda houve tempo para um susto. Ji Yun Nam, aos 43min, invadiu a área, levou a marcação e deslocou Júlio César.

O Brasil volta a jogar no próximo domingo, contra a Costa do Marfim em Johannesburgo - desta vez, porém, no Soccer City Stadium. Os norte-coreanos pegam Portugal na Cidade do Cabo na segunda-feira da semana que vem.

FICHA TÉCNICA

Brasil 2 x 1 Coreia do Norte

Gols:

Brasil: Maicon aos 10min do 2º tempo e Elano aos 26min do 2º tempo

Coreia do Norte: Ji Yun Nam, aos 43min do 2º tempo

Ponto Forte do Brasil

Alto índice de posse de bola

Ponto Forte da Coreia do Norte

Marcação fortíssima na linha defensiva

Ponto Fraco do Brasil

Pouca profundidade dos ataques

Ponto Fraco da Coreia do Norte

Isolamento de Jong Tae Se

Personagem do jogo

Maicon, que marcou o primeiro gol brasileiro no Mundial

Esquema Tático do Brasil

4-2-3-1

Júlio César; Maicon, Lúcio, Juan e Michel Bastos; Gilberto Silva e Felipe Melo (Ramires); Elano (Daniel Alves), Kaká (Nilmar) e Robinho; Luís Fabiano

Técnico: Dunga

Esquema Tático da Coreia do Norte

5-3-2

Ri Myong Guk; Cha Jong Hyok, Pak Chol Jin, Ri Jun Ii e Ji Yun Nam; Mun In Guk (Kim Kum Ii), An Yong Hak e Pak Nam Chol; Hong Yong Jo e Jong Tae Se

Técnico: Kim Jong Hun

Cartões amarelos

Brasil: Ramires

Árbitro

Viktor Kassai (Hungria)

Público

54.331 espectadores

Local

Ellis Park Stadium, em Johannesburgo

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Secretário de Governo e chefe de gabinete da prefeitura de Garanhuns deixam governo de Luiz Carlos de Oliveira.


Do Blog do Roberto Almeida
(http://robertoalmeidacsc.blogspot.com)

NOTÍCIA EM PRIMEIRA MÃO: chefe de gabinete do prefeito Luiz Carlos (foto), Marcel Nogueira (irmão de Nogueirão do Posto de Gasolina), também pediu hoje para deixar o cargo, juntamente com o secretário de governo, Carlos Eugênio. O autor do blog conversou minutos atrás com o servidor comissionado da prefeitura e ele próprio confirmou a informação. "Por que você saiu?", perguntou o repórter, obtendo a seguinte resposta: "Olha, só porque a maneira desse pessoal fazer política é muito diferente da minha maneira".
Marcel era uma dos mais eficientes auxiliares do prefeito, tendo tido uma passagem elogiada à frente do Centro de Saúde Luiz Lessa. Pelo seu bom desempenho, foi chamado para a chefia de gabinete, onde também se destacou, atendendo sempre bem as pessoas, com muita atenção, quebrando muitos "galhos" de quem precisa do serviço público, principalmente na área de saúde. Com certeza é um funcionário que fará falta ao município.

CARLOS EUGÊNIO

O secretário Carlos Eugênio continua sem ser localizado, embora já esteja confirmado seu desligamento do Governo Municipal. Uma fonte ligada ao prefeito disse que ele irá se afastar completamente do trabalho da prefeitura, embora um vereador oposicionista tenha admitido que o mesmo permanecerá no setor de Comunicação. Da mesma maneira que Marcel, o agora ex-secretário de Articulação Política fez um grande trabalho na área de imprensa, no primeiro mandato de Luiz e vinha trabalhando por uma equipe inteira nas novas funções. Se sair completamente deixará um vácuo enorme no Governo e se permanecer fazendo somente a divulgação poderá se sentir desestimulado. De qualquer modo, só o próprio Carlos poderá revelar se ainda tem condições de continuar trabalhando por Garanhuns.

Neguinho Teixeira tem direitos políticos suspensos pela Justiça


Suspensão será por três anos; ex-prefeito de Caruaru responde a 11 processos na Justiça criminal

O ex-prefeito de Caruaru Manoel Teixeira (foto), conhecido com Neguinho Teixeira, teve os direitos políticos suspensos por três anos. Depois de um pedido Ministério Público de Pernambuco, o juiz eleitoral José Fernando Santos, julgou procedente o pedido.

O Ministério Público ofereceu denúncia contra Neguinho Teixeira por suspeita de fraudes em licitações envolvendo uma empresa de ônibus – um contrato teria sido renovado por 15 anos, sem concorrência. Os donos da empresa também são réus no processo, assim como o ex-prefeito de Caruaru Tony Gel, que não compareceu à audiência, realizada em 13 de abril.

Manoel Teixeira responde a 11 processos na justiça criminal, entre eles, o de coação de testemunhas. Ele continua preso no Presídio Juiz Plácido de Souza, em Caruaru, Agreste de Pernambuco.

Caruaru: Prefeitura entra com representação no MPF contra Tony Gel


Ex-prefeito é acusado de irregularidades em convênios firmados entre 2004 e 2007

O ex-prefeito Tony Gel (DEM) é acusado pela Prefeitura de Caruaru de cometer irregularidades nas prestações de contas de convênio com o Ministério do Meio Ambiente, que vigorou entre 2004 e 2007, no valor de R$ 165.722,00. Por conta disso, a administração encaminhou ao Ministério Público Federal uma representação contra o democrata, vereador e pré-candidato a deputado estadual. "O Governo Federal exige explicações sobre dispensa de licitação, extratos e comprovantes de pagamento, não apresentados, e despesas pagas fora do objeto do convênio, entre outras irregularidades", diz a nota enviada pela gestão.

A prefeitura informa que a "pior conseqüência dos atos ilegais" é a inclusão de Caruaru no CAUC, espécie de SPC federal, que pode impedir até a vinda de verbas para o São João de 2010, além do bloqueio à celebração de qualquer contrato ou convênio entre o Município e a União, com prejuízos incalculáveis para a Capital do Forró.

"O prefeito atual (José Queiroz - PDT) é obrigado, por lei, a representar junto ao MP, sob pena de “co-responsabilidade”, ou seja, ele pode ser acusado criminalmente se não agir para defender o dinheiro público, assumindo, assim, uma quase cumplicidade com os responsáveis pelas irregularidades. É o que determina a Súmula 230, do Tribunal de Contas da União", diz a nota.

O documento encaminhado ao MP foi protocolado na segunda-feira, 7, pela Procuradoria Municipal. "Com a providência tomada, a Prefeitura espera obter uma medida judicial que salvaguarde os interesses de Caruaru e possibilite à cidade ter uma relação de normalidade institucional com o Governo Federal. Milhões de reais, em repasses e contratações estão em jogo, para obras e investimentos no meio ambiente".

Caso FUNDARPE: Eduardo defende Luciana e anuncia projeto de lei


Escândalo // Governador reconhece falhas no sistema e promete mais rigor de distribuição de recursos para artistas e produtoras no estado

Diario de PE

Um mês após a Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) ser alvo de bombardeio por parte da oposição, o governador Eduardo Campos (PSB) anunciou ontem o envio de um projeto de lei à Assembleia Legislativa regulamentando a contratação de shows de artistas. Ao mesmo tempo em que defendeu pela primeira vez a presidente da Fundarpe, Luciana Azevedo, afirmando que seu afastamento do cargo está fora de cogitação. "Ninguém está discutindo isso. A gente tem que ter responsabilidade. Luciana é uma pessoa honrada e séria", destacou.
A entidade vem sendo alvo de denúncias por suposto desvio de recursos públicos no valor de R$ 62,6 milhões e criticada por, até o momento, não ter liberado os dados dos empenhos dos contratos. A novidade sobre a nova lei foi comunicada ontem pelo socialista após a inauguração da oitava Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no Curado II, em Jaboatão dos Guararapes.

O governador admitiu falhas no atual sistema, mas alegou que o problema reside na falta de uma legislação específica no país que imponha mais controle e transparência ao processo. O novo projeto foi inspirado nos estudos realizados pelo Tribunal de Contas da Bahia e o de Minas Gerais. Em Pernambuco, a elaboração ficou a cargo da Procuradoria Geral e da Secretaria de Controle do Estado. "A Lei de Licitações excepcionaliza e diz que essa área de contratação na área de cultura tem inexigibilidade de licitação. É uma interpretação em todo o país, mas não há uma regra nacional adequando de como deve ser essa inexigibilidade", argumentou.

Segundo o socialista, o projeto vem no sentido de garantir os princípios que regem a administração pública, como a transparência e a impessoalidade. "Será a primeira lei no Brasil para regulamentar como é que vai se dar a contratação de serviços numa área como essa. O caminho é propor algo que não tinha, tanto que vários governos já enfrentaram problemas em questionamentos. Já tivemos governos que tiveram contas da Fundarpe rejeitadas", lembrou, acrescentando que o importantepara o cidadão é o governo blindar os recursos públicos.

Eduardo não detalhou as novas regras, mas citou algumas das mudanças que serão adotadas com a aprovação da lei. Uma delas visa a contratação direta dos artistas, evitando a intermediação dos produtores. "Vamos apostar na transparência. Mais de 80% das contratações se dão a pequenos grupos. Os maracatus, troças e cabocolinhos, por exemplo, têm enorme informalidade e são formadas por centenas de pessoas. Como enfrentar essas questões e tirar a figura do produtor na intermediação? A questão tributária e a informalidade leva a isso. Todo o apoio a ser dado será publicado na internet, no portal da Transparência", disse.

Se a contratação for feita pelas prefeituras, por um parlamentar ou grupos culturais o apoio terá que ser publicado no portal da transparência e comunicado às autoridades locais. "Será comunicado ao juiz, Ministério Público, câmaras municipais, tribunais de contas, a própria autoridade policial para verificar se o evento aconteceu nos termosdo contrato. Segundo Eduardo, a partir de agora, o artista ficará sabendo o preço total do contrato e o valor referente ao seu cachê. "Muitas vezes o produtor contrata o artista e ele diz que não sabia quanto era o cachê e quanto ele ganhou", explicou.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Caso FUNDARPE:Terezinha sugere a existência de mensalão. Izaias Régis é citado!


A deputada estadual Terezinha Nunes (PSDB) divulgou nota, ontem, contestando as acusações de Luciana Azevedo e sugerindo a existência de uma espécie de mensalão na Fundarpe para beneficiar parlamentares. Na nota, a deputada tucana afirma ter sido procurada pelo deputado Izaías Régis (PTB), da bancada do governo, no São João de 2008, para liberar recursos para festas juninas promovidas por prefeituras ligadas a ela. O dinheiro, segundo teria explicado Izaías, seria liberado aos municípios através da Associação de Eventos Culturais e Esportivos de Pernambuco.A deputada tucana admite ter indicado um repasse de R$ 100 mil para três municípios, mas estranhou o fato de uma emenda sua à Secretaria de Agricultura, já aprovada e que liberava R$ 150 mil para o São João de Gravatá, ter sido reduzida para R$ 60 mil. E mais: os recursos seriam pagos em espécie, sem comprovação dos eventos realizados. “Desde essa data, me convenci de que há algo de podre no reino da Dinamarca”, afirma.

Ela diz ter sido procurada outras vezes para solicitar recursos, que seriam liberados por intermédio do líder do governo, deputado Isaltino Nascimento (PT), mas recusou e passou a investigar o esquema, revelado agora pela oposição.

Em sua defesa, Terezinha afirma que Luciana Azevedo tem “rabo preso” e que tenta envolver seu nome “para fugir das responsabilidades”. Por último, diz não reconhecer nela “nenhuma moral” para acusá-la de nada.

Jornal do Commercio

Caso FUNDARPE:Desabafo deixa Palácio incomodado


Entrevistas da presidente da Fundarpe nas rádios provocou mal-estar ao longo do dia e fez com que governador convocasse reunião com núcleo político

Embora pessoas ligadas ao governo assegurem que a presidente da Fundarpe, Luciana Azevedo, estaria recebendo total respaldo durante a crise, há quem afirme que ela teria realmente sido “jogada aos leões”. Nas entrevistas que concedeu ontem, dois aspectos ficaram evidentes: a forte pressão a que a ex-vereadora estaria submetida e a sensação de que ela teria sido deixada sozinha no jogo. A prova da falta de afinação com o comando foi o desagrado do Palácio com as suas declarações nas entrevistas. Aliados chegaram a afirmar que ela teria demonstrado “desequilíbrio”. O clima pesou tanto que, ao longo do dia, interlocutores caíram em campo para esfriar os ânimos. Mesmo assim, Luciana desistiu de participar da cerimônia de reabertura do Cineteatro Apolo, em Palmares (Mata Sul), ao lado do governador Eduardo Campos (PSB). Segundo auxiliares, ela teria se sentido mal.
O governador – que em público não quis falar sobre o assunto (leia na página 7) – convocou para a noite de ontem uma reunião do seu núcleo político, o chamado “gabinete de crise”, para analisar o cenário. Com isso, deixou claro que a atuação da presidente da Fundarpe estaria na berlinda. Segundo um assessor palaciano, a insatisfação começou no momento em que ela baixou uma portaria sobre políticas culturais, em agosto de 2009, extinguindo o privilégio de deputados estaduais – governistas e de oposição – de destinar verbas para festas e eventos, o que gerou uma crise com a Assembleia.

Luciana Azevedo explicou que decidiu mudar o “modus operandi” adotado por governos anteriores como forma de garantir maior rigor na distribuição dos recursos para projetos culturais, por meio de convênios e editais. Mas as retaliações dos deputados viriam rápido. Uma delas foi impor ao governo sua primeira derrota na Assembleia, exatamente na votação do projeto que abria um crédito suplementar de aproximadamente R$ 3 milhões para o Fundo Estadual de Cultura (Funcultura), gerido pela Fundarpe. Foi necessário muito suor dos articuladores governistas para reverter o processo e garantir que a matéria fosse aprovada em uma segunda votação, no dia seguinte.

Desde que a eclodiu a crise, aliados de Luciana Azevedo queixavam-se da falta de uma ação realmente efetiva por parte do governo em defesa dela. Enquanto o respaldo não vinha, eles próprios se mobilizaram. No início do mês, colocaram na internet um twitter e o blog “Amigos de Luciana Azevedo”, no qual contam sua versão do caso.

Na sexta-feira passada, artistas e produtores culturais aproveitaram a solenidade de lançamento de novos Pontos de Cultura, no Cinema São Luiz, para divulgar um manifesto de apoio a Luciana, condenando a exploração “eleitoreira” do tema. E saíram em passeata até a Assembleia para entregar o texto aos deputados. Anteontem, foi a vez de a própria Fundarpe publicar uma nota oficial nos jornais, prestando esclarecimentos à opinião pública sobre o assunto.

Jornal do Commercio

Caso FUNDARPE: Bate-boca com Coutinho durante as entrevistas


Passava das oito da manhã quando Luciana Azevedo deu início à primeira entrevista do dia, na Rádio Olinda. Iniciou afirmando estar “feliz da vida” pela quadrilha “praticada por Augusto Coutinho” ter sido “desvendada”. Nervosa, levantou a voz acusando o parlamentar de ser “lambedor de botas da ditadura”. Sua “felicidade” baseava-se na informação – denunciada pela própria – de que Coutinho solicitou apoio da Fundarpe para entidades e foi atendido.
Minutos depois, Coutinho entrou no ar e contra-atacou. Jogou a responsabilidade para o colo de Luciana, já que a execução e fiscalização das ações questionadas são da própria Fundarpe. “Luciana é leviana, mentirosa. Sempre tive respeito por ela em todas as situações. Se ela está falando em quadrilha, ela é quem comanda. Ela vem acusar dizendo que deputados receberam. Ela precisa dizer quais deputados receberam, explicar”, respondeu.

Mais tarde, na Rádio Folha, o debate continuou. Minutos após Luciana finalizar sua segunda entrevista – ela gritava, com a voz embargada –, Augusto questionou o “equilíbrio” emocional da gestora. “O governador precisa intervir”, registrou.

JCommercio

Caso FUNDARPE:Luciana acusa “mamatinha” na Assembleia e aprofunda crise


Num desabafo em meio à crise da Fundarpe, presidente denuncia esquema de troca de favores políticos e diz que cortou a “mamatinha” dos deputados

A presidente da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), Luciana Azevedo, denunciou ontem que um esquema de troca de favores políticos existiu na fundação que preside, em prol de apoio ao governo do Estado na Assembleia Legislativa, e que, por ela ter barrado esse suposto esquema através de uma portaria, vieram as denúncias de irregularidades contra a sua gestão. Ela denominou a ação como “mamatinha” e concessão de “presentinhos” aos deputados, inclusive os de oposição.
Em entrevistas à Rádio Olinda e à Rádio Folha, Luciana Azevedo terminou admitindo que a gestão chancelou medidas “ilegais”, praticadas por uma “quadrilha” formada no governo passado (Jarbas). Exaltada, a presidente do órgão – questionado há dias – somou ao escândalo novas informações, mas não esclareceu quais os artistas receberam R$ 62,6 milhões, no atual governo, de empresas suspeitas, desconhecidas da cena cultural pernambucana. O consenso nos bastidores políticos é que a postura da gestora – que ficou isolada no episódio das denúncias contra a Fundarpe – constrangeu a Assembleia e o governador Eduardo Campos (PSB), tornando sua saída inevitável.

Ao tentar acusar o deputado de oposição Augusto Coutinho (DEM) – que solicitou oficialmente auxílio da Fundarpe para festas juninas em suas bases e foi atendido – de ter cometido “ilegalidade”, Luciana terminou por apontar a acusação para sua própria gestão, que executou o pedido. Ela também afirmou que um grupo de deputados, para “extorquir” verbas, utilizou a Fundarpe em troca de apoio político no Legislativo. A ex-vereadora é a responsável pelo órgão desde o início de 2007.

“Eles (deputados) estão deixando de aprovar projetos em favor do povo para extorquir do governo recursos para, em nome da cultura, desenvolverem eventos. (...) É por isso que a população fica se questionando: ‘Oxente, eles tinham votado contra e agora estão tudo a favor?’ É porque conseguiram projetos na área de cultura para poder abençoar (os projetos)”, afirmou Luciana Azevedo à Rádio Olinda.

Questionada se os deputados têm o direito de agir dessa forma, Luciana respondeu primeiro que “não”. Depois, disse que “a política anterior (nova referência ao governo Jarbas) era uma farra” permitida.

“Todo mundo sabe que é por aí (via Fundarpe) onde saem os presentinhos para os deputados da oposição poderem aprovar os projetos em nome do povo”, acrescentou. Ao mesmo tempo que considera essa ação uma “bagaceira” vinda da gestão anterior, Luciana deixou evidente que isso aconteceu sob sua administração até agosto de 2009, antes da portaria Nº 5. “Eles (deputados) deixaram de receber a mamatinha, deixaram de receber no Natal (2009), por isso que essa pressão veio e eu deixei morrer”, explicou. Questionada, a presidente admitiu que governistas também se beneficiaram. Mais tarde, falou de “moralização”: “O Brasil está cansado desses políticos que extorquem dinheiro para aprovar projeto.

Jornal do Commercio

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Corrupção na Policia Rodoviária-PE; cinco são presos


A Polícia Federal desencadeou na manhã desta quarta-feira a operação Boa Viagem, que visa desarticular núcleos de corrupção dentro da Polícia Rodoviária Federal em Pernambuco. Cinco pessoas foram presas.
Da Folha

Também foram identificados empresários e representantes de empresas suspeitos de corrupção pública. Ao todo, foram expedidos cinco mandados de prisões preventivas, 25 conduções coercitivas, 30 afastamentos cautelares das funções, 62 mandados de busca e apreensão, sendo dez em repartições públicas, sete em empresas e 45 nas residências dos envolvidos.

O alvo da operação são os policiais rodoviários que trabalham nas BR-101, BR-232 e BR-408 das cidades de Igarassú, Carpina, Cabo, Ribeirão, Moreno, Gravatá, Caruaru, Quipapá e São Caetano. Segundo a PF, o grupo de policiais comete diversos crimes através da omissão nas fiscalizações e com o recebimento de vantagens indevidas.

Participam da operação 280 policiais federais de sete Estados --Alagoas, Paraíba, Ceará, Piauí, Sergipe, Rio Grande do Norte, Pernambuco-- e 200 policiais rodoviários federais das corregedorias-geral e regionais e grupos especializados de 14 Estados --Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí, Maranhão, Pará, Sergipe, Distrito Federal e Tocantins.

Nas investigações, que começaram em 2008 e correm em segredo de justiça, descobriram-se a existência de uma série de núcleos organizados que cobravam pedágios de usuários nas rodovias federais, ofereciam proteção aos cooperativados ou não de transportes alternativos, empresas de logística e transportes, além de usinas, possibilitando diversas infrações de trânsito.

Auditoria do TCE acha fraude em Tuparetama



Principais envolvidos são parentes do prefeito da cidade
GILBERTO PRAZERES
Da Folha-PE

Quase um ano após o surgimento dos primeiros indícios de fraude em empréstimos consignados realizados pelo Banco Matone S/A a supostos servidores do primeiro escalão da Prefeitura de Tuparetama (a 386 quilômetros do Recife), uma auditoria especial feita pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) comprovou a existência de irregularidades no caso. Conforme a relatoria do processo, “documentos fraudados” emitidos em nome de pessoas que não fazem parte dos quadros do Executivo - em sua maioria parentes do prefeito Domingos Sávio Torres (PTB) - foram utilizados para a obtenção dos referidos empréstimos, que somados ultrapassam o valor de R$ 138 mil.
Entre os nomes que são apontados no relatório do TCE aparecem os do filho e da esposa do prefeito, Vinícius de Sousa Torres e Raquel Renato de Souza Torres, respectivamente. Ambos são descritos como secretários municipais com salários mensais de R$ 4.250,00, mesmo sem nunca terem exercido as funções. Na lista, ainda constam a filha de Domingos, Priscila Souza Torres da Costa; sua nora, Elizabeth Gomes de Freitas Solva, e seu cunhado, Renato Veloso de Melo.

Todos os envolvidos apresentaram contracheques de auxiliares do petebista junto ao Banco Matone para a formalização dos empréstimos. “A prova de que as pessoas acima citadas não integram e nunca integraram o quadro funcional da Prefeitura encontra-se nos autos e nos depoimentos prestados pelos próprios tomadores dos empréstimos à promotora de Justiça da comarca local. E nos referidos depoimentos todos afirmam que nunca integraram o quadro de pessoal da Prefeitura”, aponta o relatório da auditoria, assinado pelo auditor substituto, Ruy Ricardo Harten Júnior.
Ainda segundo o relatório do TCE, o próprio Domingos Sávio Torres teria confessado que “os tomadores dos empréstimos não são servidores municipais e que outros contracheques foram fraudados, mediante fictícia majoração dos vencimentos, com a finalidade de aumentar a margem consignável dos empréstimos”. Uma cópia do processo será anexada à prestação de contas do prefeito do exercício financeiro de 2008 e outra encaminhada para o Ministério Público e o Banco Central do Brasil para as devidas providências.
Em agosto do ano passado, a bancada de oposição na Câmara de Vereadores de Tuparetama abriu uma CPI para investigar empréstimos consignados feitos pelo prefeito Domingos Sávio Costa, seus parentes e outras pessoas ligadas a ele. Entretanto, o procedimento não resultou em novidades.

terça-feira, 8 de junho de 2010

TCE rejeita contas de duas câmaras municipais



O TCE julgou irregulares as prestações de contas das Câmaras Municipais de Sirinhaém e de Jaqueira, respectivamente, relativas aos anos de 2008 e 2007. As decisões foram proferidas pela Segunda Câmara em processos que tiveram como relatores os conselheiros Romário Dias (Sirinhaém) e Valdecir Pascoal (Jaqueira).

Em relação à Câmara de Sirinhaém, foi aplicada uma multa no valor de R$ 2.500,00 ao ex-presidente Marcos Aurélio Barbosa. As irregularidades encontradas pelos técnicos do TCE que motivaram a rejeição das contas foram as ausências de contabilização e recolhimento das contribuições previdenciárias sobre os subsídios dos vereadores no montante de R$ 131.868,00 e da contribuição patronal relativa aos servidores totalizando R$ 47.869,46.

Romário Dias determinou que cópia do relatório de auditoria e do Inteiro Teor da Deliberação seja enviada ao INSS em virtude da falha apurada.

JAQUEIRA - No caso da Câmara de Vereadores de Jaqueira, foi determinado ao ex-presidente José Jailson de Albuquerque o ressarcimento aos cofres municipais do valor de R$ 46.800,00.

Segundo o conselheiro Valdecir Pascoal, as principais irregularidades verificadas foram gastos com diárias sem comprovação de interesse público no valor que foi determinado o ressarcimento, ausência de retenção e recolhimento ao INSS das contribuições previdenciárias sobre os subsídios dos vereadores e a realização de despesas com publicidade sem documentos que permitissem o exame do conteúdo e da divulgação da mensagem veiculada.

Cópia dessa decisão será encaminhada ao Ministério Público de Contas para fins de representação junto ao Ministério Público Estadual.

Gerência de Jornalismo (GEJO) / Diário Oficial de Pernambuco, 08/06/10

Brasil potência: PIB cresce 9% no primeiro trimestre e impressiona o mundo.


Agência Brasil


BRASÍLIA - A economia brasileira cresceu 9% no primeiro trimestre deste ano em comparação a igual período de 2009, a maior alta da série histórica nesse tipo de comparação.

A indústria cresceu 14,6%, seguida pelo setor de serviços, com 5,9% e a agropecuária, 5,1%. A formação bruta de capital (investimentos em máquinas e equipamentos) aumentou 26%, a construção civil aumentou 14,9% e importações de bens e serviços, 39.5%

Na comparação com o quarto trimestre de 2009, o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de bens e serviços produzidos no país - até março foi de 2,7%, o mais alto para o período desde 2004. A industria foi o setor que apresentou o maior avanço, com alta de 4.2%. O setor agropecuário teve expansão de 2,7% e o de serviços, de 1,9%.

Os dados divulgados hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) são das Contas Nacionais Trimestrais.

Até tu marina? Marina usa estrutura da Natura para a campanha



O escritório dos sócios da Natura na rua Amauri, no Itaim Bibi, em São Paulo, tem sido usado como bunker informal da campanha da pré-candidata do PV à Presidência, Marina Silva.

A prática contraria o discurso do vice Guilherme Leal, que disse que se afastaria do comando da empresa e que não usaria sua estrutura para fins político-partidários.
Embora os verdes tenham montado o comitê oficial numa casa na Vila Madalena, o escritório do Itaim Bibi abriga as reuniões mais importantes, que não aparecem na agenda pública da senadora.

Além de Marina e Leal, só pisam lá alguns dirigentes da campanha e os assessores mais próximos da dupla. Jornalistas e profissionais contratados pelo PV não têm acesso aos encontros.

Na última sexta-feira, por exemplo, a pré-candidata passou a tarde a portas fechadas no escritório. Sua assessoria se limitou a informar que ela estava em São Paulo, sem compromissos públicos.

Os controladores da Natura ocupam dois andares do edifício da rua Amauri. O endereço aparece várias vezes em documentos da Natura. A sede da empresa fica em Itapecerica da Serra (SP).

A assessoria de Marina afirma que o escritório não está registrado em nome da Natura, e sim da Janos, empresa que administra o patrimônio dos controladores da fabricante de cosméticos.

Isso, segundo os verdes, descaracterizaria o uso da estrutura da fabricante de cosméticos na campanha.
De acordo com a assessoria, o endereço é usado para reuniões por oferecer estrutura melhor que o comitê e por ficar perto do hotel em que Marina costuma se hospedar em São Paulo.


Autor: Redação 24 Horas News

Pastor lança campanha para arrecadar 1 Bilhão de Reais


Ele vai conseguir? Não duvide. Estamos nos referindo a um dos astros da fé eletrônica. Um desses fenômenos televisivos das madrugadas brasileiras. É o pastor da igreja Assembléia de Deus o Sr. Silas Malafaia, que a exemplo de Edir Macêdo da Igreja Universal e dono da TV Record também lança sua campanha de 1 milhão de almas para adquirir seu espaço na telinha. Leiam o texto abaixo que se encontra em seu site na internet.
*************************************************************************************
CLUBE DE 1 MILHÃO DE ALMAS?
Você pode estar pensando: “Não estou entendendo essa história de clube”. Isto porque no Brasil a ideia de clube normalmente tem a ver com recreação, mas uma das definições de clube é associação de pessoas que têm por objetivo atingir um determinado propósito ou fim comum.

O nosso objetivo é a conquista de vidas para o Reino de Deus. Faça parte do Clube de 1 milhão de almas, dando uma oferta voluntária no valor de R$ 1.000,00 (MIL REAIS), que nos ajudará com os programas de televisão, que temos no Brasil e em outras nações, e a realização de cruzadas e congressos evangelísticos. Com certeza, PODEREMOS CONQUISTAR EM POUCO TEMPO 1 MILHÃO DE PESSOAS PARA CRISTO!

Cada vez que, por meio de nossos programas e eventos, ganharmos uma alma para Cristo, registraremos no contador em nosso website. E cada vez que você conquistar alguém para Jesus, também poderá efetuar o registro, clicando no link:
1 milhão de almas.

P.S.: VOCÊ, QUE ENVIAR A SUA SEMENTE VOLUNTÁRIA DE R$ 1.000,00 (MIL REAIS) PARA O CLUBE DE 1 MILHÃO DE ALMAS, RECEBERÁ O LIVRO 1001 CHAVES DE SABEDORIA, DO DR. MIKE MURDOCK, E UM LINDO CERTIFICADO DO CLUBE.

************************************************************************************

O contador de Almas que já doaram R$: 1.000.00(Hum mil reais) para ter acesso ao clube, até a edição deste post já registrava 4.742 almas. Falta muito para a meta de 1 milhão de almas a 1 mil reais, mas, do jeito que as coisas são milagrosas para estes astros da fé não duvido que ele alcance rapidinho seu objetivo. Agora aqui para nós... 1 bilhão de reais é grana demais para ser investida em TV vcs não acham? Com essa grana dá para comprar uma rede inteira de TV.Concordam? Coisas do Brasil.
Se quiser fazer parte do clube, é só ter 1 mil reais disponível.
Maiores informações:http://www.ministeriosilasmalafaia.com.br/

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Sois REI: Em PE, aprovação de Lula roça a unanimidade: 95%




Do Blog de Josias de Souza
Popular no Brasil, Lula é popularíssimo em Pernambuco. O índice dos pernambucanos que aprovam o governo do conterrâneo é de 95%. Apenas 4% o desaprovam.

Os dados constam de pesquisa feita pelo instituto Exatta entre os dias 29 de maio e 1º de junho. O resultado foi às páginas do ‘Diário de Pernambuco’. Ouviram-se 2.002 pessoas. A margem de erro da sondagem é de 2,2 pontos, para cima ou para baixo. A média nacional de aprovação do governo Lula é, segundo o último Datafolha, de 76%.

O Exatta mediu também a intenção de voto dos pernambucanos na sucessão de Lula. Dilma Rousseff prevalece sobre o rival José Serra com larga margem. A candidata do petista aparece na pesquisa com 50%. O tucano, com 24%. Diferença de 26 pontos percentuais. Marina Silva (PV) amealha 3%.

O pedaço do Estado em que Dilma está mais bem posta é o Sertão do São Francisco, onde estão assentados os municípios que rodeiam Petrolina. Ali, Dilma obtém 69% das intenções de votos. Serra, apenas 10%. Diferença de notáveis 59 pontos percentuais. O Agreste pernambucano é a região em que a situação de Serra é, digamos, menor pior.

Nesse trecho do mapa, o tucano obtém 27%, contra 42% atribuídos a Dilma. A dianteira da candidata de Lula é, nesse caso, de 15 pontos percentuais. Há em Pernambuco uma evidente transferência de votos de Lula ‘Cabo Eleitoral’ da Silva para Dilma ‘Lulodependente’ Rousseff.

Mas a pesquisa anota certas curiosidades. Por exemplo: entre os 95% que aprovam Lula, 23% declaram que votarão em Serra. Outra excentricidade aparece na hora em que os eleitores são divididos por classes sociais. Serra obtém seus melhores índices na base da pirâmide: 26% na classe ‘C’ e 24% na ‘D’. Sua pior marca, 15%, veio das classes ‘A’ e ‘B’.

O índice mais alto de Dilma, 55%, foi registrado entre os pernambucanos mais ricos, da classe ‘A’. O quadro esboçado na pesquisa como que ratifica a dureza que 2010 reservou aos dois políticos que personificam o projeto de Serra em Pernambuco.

Jarbas Vasconcelos, dissidente do PMDB e feroz adversário de Lula, vai às urnas como candidato ao governo do Estado. Sérgio Guerra, presidente do PSDB e coordenador nacional da campanha de Serra, desistiu de renovar o mandato de senador. Tentará a sorte como candidato a deputado.

Cobertura maior dos planos de saúde entra em vigor hoje.


Mudanças devem beneficiar cerca de 44 milhões de brasileiros; planos serão obrigados a cobrir 70 novos procedimentos
Entram em vigor nesta segunda-feira (7) as novas regras da Agência Nacional de Saúde Suplementar que ampliam o número de exames e procedimentos que os planos de saúde são obrigados a cobrir.

As mudanças devem beneficiar cerca de 44 milhões de brasileiros que contrataram planos de saúde a partir de primeiro de janeiro de 1999.

Entre os 70 novos procedimentos que os planos serão obrigados a cobrir, 16 são da área odontológica, como a colocação de coroas e blocos. Outros 54 são avanços da medicina, como as cirurgias menos traumáticas feitas com auxílio do vídeo, o transplante de medula e exames genéticos e de imagem. O pet scan, que ajuda a visualizar tumores e outras doenças, é um deles. O exame custa cerca de R$ 3,5 mil, valor que muitos planos não cobrem.

“É uma espécie de ressonância mais sofisticada, que pega o câncer e a metástase do pulmão mais no início. Atualmente, é preciso ir para cirurgia exploratória”, explica Henrique Oti Shinomata, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Medicina de Seguro.

O transplante de medula feito por doação de outra pessoa viva também passará a ser coberto pelos pacotes de referência dos planos. A principal indicação deste transplante é para o tratamento de leucemia.

“Também terão as vídeolaparoscopias no tórax. Antes tinha que abrir o paciente, e a recuperação é muito custosa e dolorida”, diz o especialista.

As novas regras também aumentam o número de consultas de especialistas como psicólogos, nutricionistas, fonoaudiólogos e fisioterapeutas que os planos de saúde terão que cobrir. O número de sessões varia de 12 a 24 dependendo da doença e da especialidade. No caso dos psicólogos, elas podem chegar a 40, desde que indicadas por um psiquiatra.

“Antes havia um limite de 180 dias em hospital dia. Não terá mais essa limitação, então não interrompe o tratamento e evita uma crise”, diz Shinomata.

Custo

A Agência Nacional de Saúde Suplementar deve divulgar semana que vem o reajuste anual dos planos de saúde, previsto por lei. Mas o impacto dos novos procedimentos no valor das mensalidades só será avaliado pela ANS no ano que vem.

A expectativa da agência é que as novas coberturas encareçam os planos em cerca de 1%. Já as seguradoras esperam altas maiores.

“Pode acontecer de ser bem mais [o aumento], e aí [os consumidores] vão ter que arcar com esses custos maiores. Mas quem utilizou vai agradecer muito, vai evitar uma cirurgia, ter que passar por uma quimioterapia que não esteja fazendo efeito” diz Shinomata.

Pernambucanos são presos por suspeita de fraude em concurso da PM da Bahia


pe360graus

O problema é que um dos candidatos usava um equipamento de escuta eletrônico, idêntico aos que são usados na TV
Em tentativa de fraude em um concurso da Polícia Militar (PM) da Bahia, 11 pernambucanos foram presas, no último domingo (6), em uma das salas do colégio da PM. Um dos candidatos usava um equipamento de escuta eletrônico, idêntico aos que são usados na TV.

As informações eram repassadas aos demais candidatos. Mas um dos fiscais da prova desconfiou e o golpe foi descoberto. Um total de 14 mil candidatos se inscreveu para esse concurso da PM da Bahia.

O grupo foi descoberto na hora em que um deles foi ao banheiro. Ele despertou a desconfiança por causa do nervosismo. “Por isso foi usado um detector de metal, e foi descoberto o ponto eletrônico. A partir daí, fizemos o mesmo trabalho em outras pessoas, e achamos mais pontos eletrônicos. Acredito que não houve a contaminação do concurso. O sistema devia funcionar através d um carro preto, com três pessoas, que deviam fazer a comunicação”, falou o capitão da PM, Everaldo Maciel (foto 6).

“Eles estão sendo autuados em flagrante por estelionato e formação de quadrilha”, afirmou a delegada Alda Maria

Números que agitam


Do Diário:

Os 61% de intenção de votos creditados ao governador Eduardo Campos (PSB) para esta sucessão estadual contra os 30% alcançados pelo senador Jarbas Vasconcelos (PMDB), na pesquisa do Instituto Exatta, não surpreendem na medida em que estes números acompanham uma tendência também revelada em consultas anteriores feitas por outros institutos.

Mesmo assim são percentuais reveladores: é grande, muito grande, a distância que separa os dois principais concorrentes ao governo do estado, devendo-se salientar, no entanto, que faz só um mês que Jarbas assumiu sua candidatura, enquanto Eduardo está em ação, praticamente, há quatro anos. Agora, o que surpreende mesmo são os números referentes à corrida pelas duas vagas do Senado: Marco Maciel (DEM), com 45%, e Humberto Costa (PT), com 44 %, assumem a liderança disparada e, se continuarem nessa escalada, só resta saber qual dos dois será o mais votado, o que confirma o que foi dito por esta coluna no domingo passado. Os dois se mantêm praticamente com percentuais bem próximos em todas as regiões do estado, sendo que Maciel lidera em todas as regiões, com exceção do Sertão do São Francisco, onde Humberto assume a liderança.

Este cenário, claro, é altamente negativo para o segundo provável candidato ao Senado na chapa de Eduardo, o deputado federal Armando Monteiro Neto (PTB), que alcançou apenas 18% das intenção de votos, um percentual desanimador para quem está em campanha há bem mais tempo do que o seu companheiro de chapa, Humberto Costa. Por fim, uma prova de que eleição é, de fato, uma caixa de surpresa, o deputado federal Raul Jungmann (PPS), apontado como candidato para a segunda vaga do Senado na chapa de Jarbas, aparece com 11% - algo muito elevado para quem ainda não mostrou a cara para o eleitorado. Com este percentual de Jungmann, a oposição pode até suspirar mais aliviada e, quem sabe, deixar de lado a presença de um tucano na chapa majoritária. Isso posto, a pesquisa do Instituto Exatta deixa dois recados do eleitorado: Eduardo vai ter que trabalhar muito para eleger Armando Neto como seu segundo senador, e Jarbas terá que se transformar num gigante para encostar em Eduardo.

domingo, 6 de junho de 2010

Dilma em ascensão, Serra em queda


Do JB
A mais nova pesquisa nacional do instituto Ibope, encomendada pela TV Globo e pelo jornal O Estado de S. Paulo, divulgada ontem, mostra o tucano José Serra e a petista Dilma Rousseff polarizando a disputa. Ambos aparecem empatados na sondagem espontânea tanto para cenários do primeiro turno quanto para o segundo. Serra e Dilma surgem com 37%, e Marina Silva (PV), em terceiro, com 9%. Em relação à pesquisa anterior do Ibope, feita em abril, antes da propaganda dos dois principais pré-candidatos no rádio e na TV, Dilma subiu cinco pontos percentuais, e Serra caiu três. Brancos e nulos chegam a 9%.

Dilma ultrapassa Serra, no entanto, na sondagem espontânea: tem 19% contra 15% do tucano. Para um eventual segundo turno, Serra e Dilma empatariam hoje em 42%. Na pesquisa Ibope de abril, o placar era de 46% a 37%.

O instituto acredita que os números em ascensão de Serra e Dilma devem-se principalmente às recentes aparições dos pré-candidatos em programas partidários nas últimas semanas.

Cerca de um quarto do eleitorado disse ter assistido o programa de um ou de outro.

A propaganda do PT, no entanto, leva vantagem quando o entrevistado é incitado a opinar. O Ibope ouviu 2.002 entrevistados em 141 cidades, entre os dias 31 de maio e 3 de junho.

Caruaru e seu peso político


Alexandre de Souza Acioli
Folha de Pernambuco

A cidade de Caruaru, o maior colégio eleitoral do interior Estado, desperta o interesse de qualquer candidato majoritário por conta do seu potencial de votos. O município tem cerca de 300 mil moradores e quase 200 mil eleitores, quantidade bastante expressiva e capaz de fazer a diferença na hora de decidir uma eleição. Esse detalhe tem sido levado em conta no momento em que se montam as chapas. Para comprovar essa preocupação, basta observar que, nos últimos 20 anos, das cinco eleições realizadas para o Governo do Estado, em três delas Caruaru esteve representado na chapa majoritária.
Primeiro foi com Roberto Fontes (PFL), vice governador de Joaquim Francisco (1991-1994). Depois vieram Jorge Gomes (PSB), vice de Miguel Arraes (1995-1998), e em 2007, João Lyra Neto (PDT), companheiro de chapa do atual governador Eduardo Campos (PSB). Este ano, o município poderá ter um destaque ainda maior nas eleições porque a situação poderá se repetir - e desta vez, em dose dupla. Dois políticos da terra, militantes de campos opostos, deverão compor as chapas majoritárias dos principais candidatos ao Governo do Estado.
Do lado da oposição estará a deputada estadual Miriam Lacerda (DEM), que será companheira de chapa do senador Jarbas Vasconcelos (PMDB). O seu nome será homologado na convenção da coligação PMDB/DEM/PSDB/ PPS/PMN, no próximo dia 18, no Atlético Clube de Amadores, no bairro de Afogados. Além de ser parlamentar, ela é esposa do atual vereador Tony Gel (DEM), que foi prefeito por dois mandatos consecutivos, entre 2001 e 2008.
No campo oposto poderá estar o atual vice-governador João Lyra Neto (PDT), companheiro do governador Eduardo Campos na chapa eleita em 2006. Até o momento o governador não confirmou o ‘bis’, mas a maioria dos políticos da base governista acredita que a dupla deverá ser mantida. O pedetista já foi deputado estadual e prefeito duas vezes (1989-1992 e 1996-2000). Os dois, Miriam e Lyra, terão como missão estratégica convencer os eleitores e conquistar o maior número de votos do município e da região para as suas coligações, afinal de contas os sufrágios obtidos em Caruaru serão muito importantes para qualquer um dos grupos envolvidos na disputa.
Pelo que se tem visto até o momento, tanto a estratégia da situação quanto da oposição será a comparação do trabalho realizado pelas duas administrações e mostrar o que cada uma delas fez em benefício da cidade.
Entre os governistas, a vaga de vice chegou a ser bem disputada, meses atrás, pelo fato de o governador tentar seu segundo mandato. Em abril de 2014, ele deverá renunciar para concorrer a outro cargo, e quem assumir comandará o Estado por nove meses, teoricamente com direito à reeleição. Do lado oposicionista, Miriam foi escolhida por representar o Interior, onde Jarbas admite ser o seu ponto fraco nesta disputa.

sábado, 5 de junho de 2010

Revista Veja:O craque de 2010...


O craque de 2010...
...pode não estar na Copa. Lula alavancou a candidatura
de Dilma Rousseff à liderança. Se ele continuar jogando
assim, elegerá sua sucessora – isso se não aparecer
uma zebra até lá



O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pretende se consagrar como o maior craque da história do Brasil. A promessa de Garanhuns estreou bem nos rachões do sindicalismo, brilhou no primeiro time do Partido dos Trabalhadores e foi vice três vezes – até que, em 2002, jogando no melhor estilo paz e amor, conseguiu mostrar a qualidade do seu futebol e se tornar presidente da República. De lá para cá, sua carreira vem subindo velozmente ao Olimpo onde pairam os mitos brasileiros. Apesar de ter sofrido uma breve má fase há cinco anos, quando flagraram metade do seu time no antidoping do mensalão, ele encontrou perseverança para ser bicampeão em 2006. Nos últimos tempos, embalado pelo relativo sucesso de programas sociais do governo e pelo bom momento da economia, Lula atingiu seu ápice: 80% dos brasileiros aprovam seu futebol. É no auge da era Lula, portanto, que se aproxima a copa da política brasileira: a eleição presidencial. Nela, como não pode concorrer, o presidente deveria atuar apenas como técnico da novata Dilma. Lula, porém, não tem nada de Dunga – e entrou em campo com tudo, dando diariamente chapéus na Justiça Eleitoral, carrinhos nos adversários e preciosos passes para a sua camisa 9.

Até o momento, o presidente, vá lá que sem muito fair play, está levando o time nas costas. Desde o fim do ano passado, quando Lula passou a jogar com afinco, Dilma vem crescendo lentamente nas pesquisas. A tal ponto que, nas últimas semanas, as sondagens mais confiáveis, como a do instituto Datafolha, indicaram um empate entre ela e o candidato tucano, José Serra. Ambos aparecem com 37% das intenções de voto – em dezembro, a petista aparecia com 26%, e o peessedebista flanava com 40%. Não há dúvida de que o crescimento da candidata petista se deve ao presidente, nem dúvida há de que ele será o dínamo político da campanha. A população gosta do presidente e está satisfeita com suas próprias condições de vida. Até março do ano passado, Dilma, apesar de ocupar o poderoso cargo de chefe da Casa Civil, era conhecida superficialmente por somente 53% dos brasileiros. À medida que foi sendo apresentada por Lula ao eleitorado, seja em discursos televisivos, seja em desavergonhados eventos eleitorais país afora, Dilma cresceu e apareceu, conquistando votos na mesma proporção em que se tornou conhecida. No jargão dos marqueteiros, isso se chama transferência de votos. Na linguagem do futebol, resume-se ao talento de Dilma para se posicionar na banheira e receber os passes de Lula. Somente no decorrer da campanha, contudo, será possível descobrir se a camisa 9 do PT sabe fazer gols, transformando intenções em votos.

É do resultado dessa incógnita que sairá o próximo presidente. As pesquisas e a sabedoria política sugerem o seguinte: se Dilma conseguir convencer os eleitores de que merece ser a sucessora de Lula (como tem conseguido até agora), ganhará a eleição; se falhar, a vitória provavelmente caberá a Serra. Aqui, porém, como bem sabe o presidente, vale o mais infame dos clichês futebolísticos: toda eleição é uma caixinha de surpresas. Para evitar um maracanazzo petista, Dilma segue com disciplina as orientações do professor – quer dizer, do presidente Lula e dos marqueteiros de sua campanha (veja o quadro). A estratégia petista depende do sucesso de três táticas: Lula convencer o eleitorado de que a vitória de Serra significaria um retrocesso para o país, Lula fazer muita campanha para Dilma e, finalmente, Dilma mostrar-se autêntica e confiável para os simpatizantes do lulismo. O último item é puramente subjetivo. Subordina-se aos múltiplos aspectos da personalidade da petista, ao modo como a índole dela se comunica com o eleitorado. Da busca dessa furtiva e intangível qualidade decorre, em larga medida, o trabalho dos marqueteiros.

"Não basta o Lula dizer que a Dilma é candidata dele. O eleitor tem de ouvir isso da Dilma, e sentir que confia nela", afirma o cientista político David Fleischer, da Universidade de Brasília. Ou seja: o eleitor não elege postes. Na Colômbia, o presidente Álvaro Uribe deve fazer seu sucessor, o ex-ministro da Defesa Juan Manuel Santos. No Chile, entretanto, a presidente Michelle Bachelet, apesar de apresentar 80% de aprovação, não conseguiu que seu candidato lhe sucedesse – nesse caso, o candidato não era desconhecido como Dilma. A diferença entre os dois exemplos indica como o fenômeno da transferência não tem nada de cartesiano. O desafio de Dilma é paradoxal. Ela precisa ser conhecida como sucessora natural do presidente – mas deve fazer isso sem exageros, de modo a não esmaecer na sombra de Lula.

As recentes boas notícias para Dilma não espantam as preocupações dos coordenadores da campanha petista. Os principais temores deles concentram-se na possibilidade de ataques pessoais à candidata. O maior dos medos decorre da militância de Dilma durante a ditadura militar. Os petistas temem que a recorrente insinuação – sem fundamento, frise-se – de que a candidata pegou em armas possa causar danos desastrosos a ela. A preocupação resultou numa defesa preventiva, que foi ao ar no último programa televisivo do PT: a despropositada comparação de Dilma com o líder sul-africano Nelson Mandela, que ficou 27 anos preso por se opor ao regime segregacionista.

Nunca é demasiado o cuidado com esse tipo de pancada. As tão impalpáveis virtudes que os marqueteiros procuram ressaltar em Dilma podem dissolver-se com um ataque certeiro. Nas mais recentes eleições brasileiras, sobram exemplos de políticos destruídos por um deslize verbal ou um erro pregresso. Em 2002, dois candidatos ficaram pelo caminho. Roseana Sarney era favorita até a Polícia Federal descobrir um inexplicável montinho de dinheiro vivo nos escritórios da família. No auge da campanha, quando estava próximo de Lula nas pesquisas, Ciro Gomes chamou um eleitor de burro. Até mesmo a reeleição de Lula em 2006, que se mostrava tranquila, entrou em risco quando aloprados petistas em busca de dossiês foram presos com um inexplicável montão de dinheiro.

Dessa tormentosa saga de trapalhadas e baixarias que costumam acometer as campanhas no Brasil, extrai-se a lição da cautela. Como qualquer processo político, uma eleição se desloca como uma nuvem, na qual é difícil prever tempo ruim. Foram trovoadas desse tipo, aliás, que tiraram Dilma do banco de reservas – sucessores naturais de Lula, como José Dirceu e Antonio Palocci, queimaram-se em escândalos. O bom momento de Dilma se deve também à dificuldade de Serra e de Marina Silva, a candidata do Partido Verde, em encontrar um discurso que concilie a continuidade desejada pelo eleitorado com propostas que o seduzam. Ainda faltam quatro meses para as eleições. Lula, o Pelé da política, sabe que o jogo só acaba quando termina.
SEMELHANÇAS
Na Colômbia, Juan Manuel Santos (à esq.) tem tudo para suceder a Álvaro Uribe: continuidade à vista

Prefeito de Belém de Maria agride vereador


Da Folha de Pernambuco

BELÉM DE MARIA - As duas forças políticas de Belém de Maria ainda não desarmaram os palanques de 2008. Irritado com o vereador oposicionista Val de Dânda (PDT), que tentou posar para fotos junto ao governador Eduardo Campos (PSB), durante a passagem do socialista por este município, ontem, o prefeito Wilson de Lima e Silva (PTB), o Dinho, agrediu o adversário com um soco no rosto. E fez isso bem próximo ao governador, em frente à Prefeitura, no meio de centenas de pessoas que estavam ali para acompanhar Campos. Em seguida, a turma-do-deixa-disso entrou em cena para impedir que a confusão virasse uma briga generalizada.

Até Eduardo foi apartar os dois políticos, que, apesar de inimigos no município, são aliados ao socialista no plano estadual. O assunto caiu na boca dos populares, que só falavam disso durante a visita do governador. Acusado por aliados de Dinho de ter provocado o petebista, Val de Dânda disse que vai processar o prefeito. Questionado sobre o motivo da agressão, Dinho desconversou, argumentando que foi outra pessoa que bateu no vereador. “Foi um mal-entendido”, assegurou.

Durante sua fala, Eduardo deu uma “bronca” nos aliados pregando a unidade para desenvolver Belém de Maria. Dinho é ligado ao deputado federal Inocêncio Oliveira (PR); Val é do grupo do presidente da Assembleia Legislativa, Guilherme Uchoa (PDT). Os dois parlamentares presenciaram toda a confusão.

Empresárias presas


Lojistas :: Três irmãs que têm lojas em shoppings foram encaminhadas ao presídio feminino, no Engenho do Meio, ontem à tarde
Ana Cláudia Dolores
anadolores.pe@dabr.com.br


Três empresárias suspeitas de envolvimento no esquema de clonagem de cartões de banco e de abertura de empresas com documentação fraudulenta foram presas ontem pela Polícia Civil de Pernambuco.Ana Nélia de Medeiros Cabral de Souza, 50 anos, Rita de Cássia Medeiros de Souza, 43, e Michelle Medeiros, 38, são irmãs. A quadrilha instalava "chupa-cabras", equipamento que captura dados dos cartões dos clientes, nos terminais de autoatendimento da agência Bradesco, de Casa Forte, Zona Norte da capital. Além disso, tinha sociedade com, no mínimo, três lojas do ramo de artigos em couro abertas em nomes de "laranjas"num centro de compras de Boa Viagem, Zona Sul, e outro de Olinda.

A prisão ocorreu por volta das 6h, mediante cumprimento de mandado de prisão preventiva. Rita e Michele estavam em apartamentos luxuosos no bairro das Graças, no Recife. Já Ana Nélia, em outro, em Piedade, Jaboatão dos Guararapes. Segundo a titular da Delegacia de Repressão ao Roubo e Furto (DPRR), Patrícia Soledade, as irmãs mantinham um alto padrão de vida e nenhuma delas resistiu à prisão.As três foram encaminhadas à Colônia Penal Feminina, no Engenho do Meio, ontem à tarde, e deverão ser indiciadas, ao final do inquérito, pelos crimes de falsidade ideológica, estelionato e formação de quadrilha. Além do material utilizado para a prática fraudulenta no banco e de documentos contendo razões sociais falsas de diversas empresas, a polícia apreendeu um veículo Polo, de placa KMC 2793, um Corolla, KHL 7844, e duas caminhonetes Hilux de placas KFG 1824 e KGP 8870, todos em poder das irmãs e financiados por meio de papéis também falsos.


Michele, Ana e Rita foram detidas ontem em seus apartamentos Foto: Juliana Leitão/DP/D.A Press/Reprodução


Foi na residência de Rita que os agentes localizaram a maior parte do material que vai ajudar na investigação do crime praticado contra os clientes na agência do Bradesco. Aparelhos "chupa-cabra", cartões de débito e de crédito clonados, uma CPU e diversos pen-drives, além de R$ 1 mil em espécie, estavam em diversas bolsas espalhadas pelo apartamento. "Já sabemos que esses pen-drives são o raio-x dos crimes delas. Neles estão registrados os dias e os horários das transações bancárias. Assim podemos saber quantos clientes foram lesados", disse Soledade. A polícia ainda investiga a participação de mais duas pessoas no esquema, que agiam na instalação dos equipamentos nos caixas eletrônicos. Uma delas seria um namorado de Rita. O número de pessoas prejudicadas ainda não foi quantificado. A direção do banco será acionada para identificar as vítimas.

Golpe - A polícia investiga a ação da quadrilha desde o dia 10 de fevereiro. Por finais de semana consecutivos, dois homens foram vistos entrando na agência de Casa Forte logo no início da manhã. A movimentação suspeita gerou uma denúncia anônima à polícia. Apurando os fatos, foi identificado que a Hilux branca utilizada pela dupla estava no nome de Rita Medeiros. "Foi quando verificamos que os dados do veículo não batiam com os dela. Aí descobrimos outros esquemas fraudulentos", afirmou o titular do inquérito, Roberval Sales. Segundo a polícia, o golpe já vinha sendo praticado há, pelo menos, dez anos.

Ato em defesa de Luciana Azevedo no caso Fundarpe


Grupos artísticos saem em defesa da instituição e de sua presidente, e acusam a bancada de oposição na Alepe de agir de forma eleitoreira
Publicado em 05.06.2010
Jornal do Commercio

A cerimônia de lançamento dos novos Pontos de Cultura, promovida ontem pela Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), no Cinema São Luiz, serviu de palco para uma manifestação de apoio à presidente da instituição, Luciana Azevedo. Dezenas de artistas, grupos folclóricos e produtores culturais subscreveram um manifesto, distribuído no local, no qual acusam a oposição estadual de agir de forma “eleitoreira” ao utilizar a política cultural implementada pela Fundarpe como “arma de ataque” para atingir pessoas que estão à frente do processo.
O manifesto foi redigido por um coletivo de artistas e produtores, e lido pela artista olindense Bete de Oxum. Nele, a classe artística elogia Luciana e reafirma apoio à sua gestão, alvo de denúncias feitas pela bancada de oposição na Assembleia Legislativa. No texto, artistas e produtores dizem que caso haja irregularidades, elas devem ser apuradas e provadas, para que sejam tomadas providências. Mas alertam para a “tentativa de desmonte” do trabalho de Luciana e para a “demonização” da Fundarpe por parte dos adversários do governo.

Após a solenidade, artistas e produtores culturais se uniram a maracatus e caboclinhos em uma passeata pela Rua da Aurora, até a Assembleia, para entregar o manifesto aos parlamentares. O grupo foi recebido pela presidente da Comissão de Educação e Cultura da Casa, deputada Teresa Leitão, e pelo deputado Sérgio Leite, ambos do PT, que hipotecaram apoio aos manifestantes e se comprometeram com a defesa da gestão na Fundarpe. Teresa e Sérgio também assumiram o compromisso de defender o projeto que cria a lei de política cultural no Estado, a ser encaminhado ao Legislativo.

“É importante que a discussão volte à Assembleia, porque ela começou aqui”, disse Teresa Leitão, prometendo reagir às acusações da oposição. “Não vamos dar holofotes a quem não merece, nem alimentar a onda eleitoreira”, afirmou. Ela garantiu que assim que receber o projeto vai marcar uma audiência pública na Comissão de Educação e Cultura com a participação da Fundarpe e das entidades do movimento artístico.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Eleições 2010: Dilma ganha fácil no Rio.


Saiu no Jornal do Brasil:

Ibope: Dilma amplia vantagem sobre Serra no Rio de Janeiro

A mais recente pesquisa IBOPE não deixa dúvida de que Dilma Rousseff entrou em ascensão também no estado do Rio. E com ampla vantagem: nada menos que 17 pontos separam a pré-candidata do PT à Presidência, líder na pesquisa, do tucano José Serra. Na estimulada, Dilma tem 44%, contra 27% de Serra, em segundo, e 10% de Marina Silva (PV), em terceiro.

Os números da espontânea também surpreendem. A petista lidera com 19%, 11 pontos à frente do tucano. Para o governo do Rio, Sérgio Cabral (PMDB) lidera com folga e teria possibilidade de ganhar no primeiro turno se a eleição fosse hoje. Tem 43%, seguido de Anthony Garotinho (PR), com 21%, e Fernando Gabeira (PV), com 12%.

Para o Senado, Crivella (PRB)(E) e Cesar Maia (DEM) lideram, com 26% e 24% respectivamente, no cenário da estimulada. Lindberg Farias (PT) surge em terceiro, com 8%, e Jorge Picciani (PMDB) em seguida, com 4%


Indecisos

Chama a atenção índice na espontânea para a Presidência no estado: 51% dos entrevistados não sabem em quem votar.

3º Grau

Dilma tem a preferência dos que têm curso superior: 45%. Nesse grupo, Serra surge na preferência de 26% no estado.
Mister (W.) M.

A grande surpresa é Wagner Montes (PDT). Ele mudaria o cenário. Incluído na lista, na estimulada aparece em segundo (21%), atrás de Cabral (35%) e à frente de Garotinho (16%). Na espontânea, empata com Gabeira em 3º (2%).


Dentro e fora

Cesar Maia é mais forte na capital, com 30% 48% dos seus votos vêm da cidade e região metropolitana. Crivella lidera na metropolitana e interior, de onde extrai 62% de seus votos.


Cenário

A pesquisa foi encomendada pelo Sindicato dos Condutores da Marinha Mercante e registrada no TSE (nº 12414/2010.). Foram ouvidas 812 pessoas entre os dias 19 e 21 maio. Margem de erro de 3%.

A pesquisa Sensus em Minas: Dilma ultrapassa Serra




Espontânea:
Dilma: 21,7%
Serra:18,8%
Marina: 3,2%

Estimulada:
Dilma: 35,97%
Serra:34,9%
Marina: 6,9%


Pesquisa do Instituto Sensus em Minas Gerais, encomendada pelo Partido dos Trabalhadores
12 Regiões
53 Municípios
Entrevistas: 1.500
Amostra por Cotas REGIÃO, MUNICÍPIO, URBANO/RURAL, SEXO, IDADE, ESCOLARIDADE, RENDA
Rechecagem: 15% da Amostra
Margem de Erro: Confiança = 95%, Erro = ± 2,5%
Campo: 27 a 29 de Maio de 2010
Metodologia: 1.500 Entrevistas, ponderadas para as 12 Regiões do Estado, com o sorteio aleatório de 53 Municípios por representatividade de grupos populacionais. Probabilística sistemática até o Setor Censitário para Urbano e Rural, com cotas para Sexo, Idade Escolaridade e Renda no Setor Censitário.
Registro Tribunal Regional Eleitoral / MG número 29.649/2010 em 27 de Maio de 2010, nos termos da Resolução 23.190 de 16/12/2009 do TSE, podendo ser divulgada a partir de 01 de Junho de 2010.
Registro Tribunal Superior Eleitoral número 13.361/2010 de 27 de Maio de 2010, nos termos da Resolução 23.190 de 16/12/2009 do TSE, podendo ser divulgada a partir de 01 de Junho de 2010.

POLÊMICA DA CULTURA


“Setor cultural precisa de regras”, diz prefeito
Publicado em 04.06.2010
JC-Politica

João da Costa admite que decreto regulamentando a contratação de eventos pela PCR foi motivado pelo “caso Fundarpe”. Hoje, artistas e produtores realizam ato em apoio à gestão de Luciana Azevedo

Em meio às denúncias em torno da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), o prefeito do Recife, João da Costa (PT), reconheceu ontem que a decisão de regulamentar o setor cultural na Prefeitura do Recife foi tomada após as denúncias envolvendo o governo estadual. “A partir de tudo que aconteceu na Secretaria de Turismo, na Fundarpe, a gente percebe, sem entrar no mérito do que aconteceu, que esse setor precisa de uma profissionalização, de regras”, registrou. A administração municipal publicou na última segunda-feira um decreto estabelecendo parâmetros para a contratação de artistas.
A declaração foi proferida durante visita de João da Costa ao mercado da Encruzilhada, onde o prefeito tomou café da manhã, ontem, ao lado de parte do secretariado. “Eu pedi à presidente da Fundação (de Cultura, Luciana Félix) que procurasse refletir e pesquisar onde já se tinha avançado sobre isso. Pensamos em situações que já aconteceram conosco, e aí decidimos publicar o decreto para que não aconteça na Prefeitura”, afirmou. O gestor também acrescentou que não acredita que os fatos em torno do ex-secretário estadual de Turismo Sílvio Costa Filho e da atual presidente da Fundarpe, Luciana Azevedo, tenham acontecido por “má-fé”.

Os dois episódios que questionam a regularidade do setor cultural do governo Eduardo Campos (PSB) envolvem situações semelhantes. No caso da Secretaria de Turismo, dois convênios entre o Ministério do Turismo e o governo do Estado – num valor total de R$ 6,9 milhões – financiaram eventos fantasmas no interior do Estado. A verba saiu dos cofres públicos e o seu destino final é desconhecido. O Ministério Público Federal apura desde dezembro passado a operação. Afirmando desejar o “esclarecimento da situação”, o ex-secretário pediu demissão. Na Fundarpe, a oposição denunciou gastos exorbitantes com supostas empresas produtoras de eventos. As “contratações” não passaram por licitação e o governo não divulga a lista de artistas supostamente beneficiados.

APOIO A LUCIANA

Enquanto as dúvidas em relação ao setor de cultura do governo estadual persistem, um grupo de artistas e produtores ligados ao cenário cultural pernambucano reúne-se hoje no Cine São Luiz, às 10h, para realizar um ato de apoio à gestão de Luciana Azevedo frente à Fundarpe. Após a leitura de um manifesto, os artistas e produtores realizam passeata em direção à Assembleia Legislativa, onde entregam aos deputados estaduais um documento de apoio à administração de Luciana frente ao órgão.

Bom Conselho:NOTA de ESCLARECIMENTO



Bom Conselho, 03 de junho de 2010

Em função das declarações da prefeita Judith Alapenha dadas à imprensa, na última terça-feira (01), através de nota oficial, onde acusa a “oposição da cidade” de ter “plantado” a notícia de sua renúncia, o grupo formado pelos ex-prefeitos Daniel Brasileiro, Audálio Ferreira e Gervásio Matos, vem a público para fazer os seguintes esclarecimentos:
1. O grupo que legitima e democraticamente exerce a atividade oposicionista na cidade de Bom Conselho – representado pelos ex-prefeitos Daniel Brasileiro, Audálio Ferreira e Gervásio Matos - nada tem a ver com a divulgação da renúncia da prefeita, que segundo inúmeras testemunhas ocorreu de fato, tendo a mesma voltado atrás, como foi corretamente noticiado pelos veículos de comunicação.
2. A bem da verdade é importante afirmar que tal informação foi divulgada por pessoas que acompanharam a reunião fechada que a prefeita realizou em sua residência para anunciar a renúncia e as providências que deveriam ser tomadas.
3. Em entrevista à Rádio Papacaça, na quarta-feira (02), a vice-prefeita Dida Tenório não apenas confirmou a versão da renúncia como deu inúmeros detalhes da conversa que culminou com o pedido de renúncia que seria enviado à Câmara dos Vereadores e outras providências.
4. É fato que a renúncia só foi “revertida” após a interferência de pessoas estreitamente ligadas à prefeita que a demoveram da idéia da renúncia e apresentar à sociedade uma versão fantasiosa de que tudo havia sido apenas um “mal-entendido”.
5. O grupo oposicionista aqui identificado exerce as suas funções de fiscalizadores do Poder Público Municipal dentro dos mais rigorosos padrões ÉTICOS, não admitindo qualquer insinuação que contradiga estes princípios.
6. Finalmente queremos declarar que compreendemos o momento difícil atravessado pela senhora prefeita em relação à administração da cidade e aos seus problemas de saúde. Mas ressaltamos que no campo político-administrativo a caótica situação em que se encontra a cidade de Bom Conselho se deve EXCLUSIVAMENTE ao tipo equivocado de gestão que a mesma adotou para o seu governo.
7. Dentro das tradições do povo de Bom Conselho apelamos ainda para que a prefeita governe o município com a verdade e a determinação que historicamente caracterizam o Povo Papacaça, e não confundindo a população com ações vacilantes que em nada ajudam a cidade a sair da vexatória situação de abandono e caos administrativo.
Ex-Prefeitos:

DANIEL BRASILEIRO
AUDÁLIO FERREIRA
GERVÁSIO MATOS

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Caruaru X Garanhuns

Foto: Caruaru

Foto:Garanhuns

De passagem por Caruaru, antes de seguir viajem para minha amada Garanhuns, gastei algumas horas conversando com um grande amigo sobre desenvolvimento urbano. Garanhuns e Caruaru lógico foram os temas. Fiquei impressionado com a pujança e o ritmo de crescimento da cidade do mestre vitalino. Para os srs terem uma idéia, só na área de serviços e construção civil o indice de desenvolvimento estão batendo recordes. Fazendo inveja a muitos grandes centros do país. Informações do SINDLOJA dão conta de que cerca de 35 novos projetos de prédios residenciais com mais de 10 andares estão em andamento. Fora outras dezenas com andares inferiores e condominios de alto luxo como a franquia ALFHAVILE. Caruaru definitivamente entrou com força total na verticalização. O caruaruense está trocando as residências por apartamentos. A oferta de imóveis está garantida para os habitantes da terra do forró. O comércio de material de construção está em verdadeira ebulição. Para atender tamanha expansão, novas ruas e avenidas estão sendo construidas, saneadas e pavimentadas.
Saindo da construção civil, caruaru deverá implantar ao longo deste ano e do próximo cerca de 15 novos empreendimentos em seu distrito industrial, aproveitando a privilegiada duplicação das BRs que cortam suas divisas. Se transformando definitivamente em um Leão de desenvolvimento.
Agora, vamos para nossa querida Garanhuns. Acompanhando os noticiários de blogs e jornais, chegamos a seguinte constatação. Nossa cidade tá muito longe de alcançar nossa vizinha caruaru em relação a verticalização da construção civil, pois por aqui, o plano diretor do municipio não permite de maneira alguma a contrução de imóveis acima de 02 andares. Garanhuns definitivamente está fadada a se tornar uma cidade NANICA, perdendo a oportunidade de oferta de recursos que financiam essa industria. Com isso os terrenos, alugueis e imóveis em Garanhuns estão beirando os patamares de cidades Londrinas. Pois a oferta é infinitamente menor que a demanda. Um grande contracenso em relação ao momento econômico histórico pelo qual Pernambuco e o Brasil estão passando.
Em relação a implementação de novas industrias por aqui, tá cada vez mais dificil. Garanhuns sequer tem um distrito industrial. Não dispõe de uma politica de incentivos
que possam atrair novos investidores. O comercio continua o mesmo, sem apresentar também crescimento ou surgimento de novos negócios.
Diante do exposto acima, me pergunto. Onde estão nossa classe politica? Quais são os projetos de desenvolvimento destes srs para com Garanhuns? Quais suas opiniões e seus argumentos para explicarem tamanho engessamento do desenvolvimento da nossa cidade? Afinal, como explicar para o povo e seu eleitorado o porque de Garanhuns continuar atolada na politica pequena do feijão com arroz? O Brasil tornou-se uma potência econômica, Pernambuco um tigre asiático, e Garanhuns? uma zebra Aficana? Pelo amor de Deus Façam alguma coisa. URGENTE!

“Nomeação fantasma” em Ipojuca



Prefeito Pedro Serafim e ex-vereador Gilson Fica Frio são acusados de contratar uma assessora, sem a mesma saber. O salário ficava com o ex-vereador

Jorge Cavalcanti
jorge.cavalcanti@jc.com.br

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) entrou, ontem, com uma ação de improbidade administrativa contra o prefeito de Ipojuca (Grande Recife), Pedro Serafim (PDT), e o ex-vereador do município Gilson José Ribeiro, mais conhecido como Gilson Fica Frio. Os dois são acusados de arquitetar a nomeação de uma funcionária fantasma, entre maio e julho de 2007. De acordo com a denúncia, Gabriela Maria da Silva Souza foi empregada como assessora especial do gabinete de Serafim, mas não foi comunicada do ato. Sem saber que havia sido contratada, teve três meses de salário, no total de R$ 10.297,44 em valores atuais. O dinheiro, porém, foi embolsado pelo ex-vereador, que detinha o cartão e a senha da conta no Banco Real. A denúncia é semelhante à que, no Congresso Nacional, atinge o senador Efraim Moraes (DEM-PB).

Gabriela havia prestado serviço nas campanhas eleitorais de Gilson. Desempregada, recebeu a promessa de um trabalho. Em troca, cedeu-lhe os documentos e assinou alguns papéis. Cansada de esperar, decidiu se cadastrar no Bolsa Família. Foi quando, segundo denunciou, a farsa foi descoberta. A inscrição no programa do governo federal foi negada, pois Gabriela já tinha conta bancária e não se encaixava no perfil dos beneficiários. Ela, então, sacou um dos valores depositados. Mas no mesmo dia, conforme relatou, recebeu a visita de Gilson, exigindo o dinheiro de volta por meio de ameaças. Foi quando Gabriela procurou o promotor Salomão Abdo para formalizar a denúncia.

Na ação de improbidade por ato lesivo ao erário, o ex-vereador é classificado como o “mentor” do esquema. Na avaliação do MPPE, Serafim foi arrolado por – na qualidade de ordenador de despesa do município – consentir em assinar a portaria 1.720/2007 que viabilizou a contratação fantasma. “A prática vergonhosa e imoral (...) foi arquitetada pelo então vereador, valendo-se da influência junto ao chefe do Executivo”, descreve um trecho da ação. Intimados pelo MPPE, Serafim e Gilson preferiram silenciar.

Ouvido como testemunha, o chefe de gabinete do prefeito, Marco Antônio da Silva Araújo, afirmou que não há controle de frequência dos que exercem cargos comissionados. Ele confirmou que Gabriela nunca trabalhou na prefeitura, mas que teria sido cedida pela Câmara. A informação, porém, vai de encontro com a repassada pela presidência da Casa. O promotor ressaltou que, até o depoimento de Marco Antônio, em momento algum a gestão de recursos humanos da prefeitura confirmou a “cessão” de Gabriela.

O JC tentou contato com o ex-vereador, mas não conseguiu êxito. Em relação a Serafim, a assessoria da prefeitura informou que hoje comentaria o assunto.

Esta é a sexta ação de improbidade do MPPE contra o prefeito. Em outra anterior, o promotor Salomão Abdo chegou a pedir o afastamento liminar por 30 dias de Serafim, um secretário municipal e sete dos 10 vereadores. Em março do ano passado, ele afirmou que os cargos em comissão e funções temporárias da prefeitura foram usados como moeda de troca, para garantir a fidelidade política dos membros do Legislativo. O ex-vereador Gilson Fica Frio também figurou como réu.

Documentos da Câmara Municipal apreendidos
Publicado em 03.06.2010


A execução de um mandado de busca e apreensão na Câmara de Ipojuca mudou a rotina do centro do município, na manhã de ontem. Oito agentes e um delegado da Polícia Civil, quatro oficiais de justiça e dois técnicos do Tribunal de Contas do Estado (TCE) percorreram os gabinetes dos vereadores, o prédio anexo e o escritório do contador à procura de documentos e computadores. Solicitado à Justiça pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE), o mandado faz parte do inquérito civil que investiga supostas irregularidades na aplicação da verba de gabinete a que os vereadores tinham direito até fevereiro do ano passado.
O promotor Salomão Abdo quer detalhar como foram gastos os recursos referentes aos anos de 2007 e 2008, além dos dois primeiros meses de 2009. De acordo com o promotor, cinco ofícios já foram enviados à Câmara pedindo informações sobre a aplicação da verba. Mas até o momento nenhum foi respondido, o que forçou o pedido de um mandado de busca e apreensão. “Eles nos informaram apenas que acabaram com a verba em 2009. Mas não mencionaram como as despesas foram feitas anteriormente à data da extinção. Sem alternativa, tivemos que recorrer à Justiça”, contou ele. Por lei, a verba só poderia ser usada para custear gastos com o gabinete, como material de escritório, por exemplo.

Salomão Abdo não sabe nem quanto era o valor da verba quando foi extinta. “O único dado que sei é que, em 2003, a quantia era de R$ 8,5 mil para cada vereador”, disse. Agora, ele tem 30 dias para analisar, com a ajuda de técnicos em contabilidade, todo o material confiscado – pilhas de documentos e quatro computadores. O promotor, no entanto, estuda a possibilidade de pedir a prorrogação do prazo para finalizar o inquérito. À tarde, a Câmara de Ipojuca ficou fechada. O JC ligou para o celular do presidente da Casa, Odimeres José da Silva (PDT), mais conhecido na cidade como Nen Batatinha, mas o aparelho permaneceu desligado até às 21h de ontem.

PENA

O chefe de gabinete do prefeito Pedro Serafim (PDT), Marco Antônio da Silva Araújo, foi condenado em primeira instância por improbidade administrativa. Segundo o promotor, a prefeitura alugou um imóvel, mas o manteve sem utilidade – o que indicaria uma manobra para beneficiar terceiros, em detrimento dos cofres públicos. Apesar do prefeito ser o ordenador de despesa, foi o auxiliar que havia assinado o contrato de locação. A condenação está estampada no quadro de avisos da Promotoria de Justiça Cível do município. Cabe recurso à decisão. (J.C.)

quarta-feira, 2 de junho de 2010

O Brasil se fortalece. Só nossa mídia não vê



Enquanto a imprensa brasileira é quase sempre pessimista sobre as possibilidades do país e mal consegue esconder seu despeito com as conquistas brasileiras, a mídia internacional se encanta cada vez mais com o Brasil, e, mesmo percebendo os riscos inerentes a qualquer processo de crescimento, analisa o país com otimismo.

Dessa vez, foi a revista Fund Strategy, da City londrina, o centro financeiro da Inglaterra, que colocou na capa de sua última edição Lula como um super-homem que elevou o país a outro patamar.

O responsável pela matéria, Will Jackson, abre seu texto afirmando que “a sugestão de que o Brasil poderia ser a quinta economia do mundo poderia soar longínqua, mas a eleição de Lula inaugurou uma nova era”. Ele recorre aos dados econômicos de crescimento do PIB de 3% a 6% entre 2004 e 2008, e redução das taxas de juros em mais de 10 pontos percentuais no período, para exemplificar o desenvolvimento do país.

A matéria busca examinar as condições do Brasil de lidar com os desafios que tem à frente e traça um cenário otimista. Como afirma Robert Wood, analista senior e vice diretor de risco-país do Latin America at the Economist Intelligence Unit (EIU), em Nova Iorque, as maiores preocupações do mercado se referem à habilidade de o Brasil gerenciar o crescimento, um problema que “é um luxo de se ter.”

A matéria confirma o tratamento de marolinha que Lula deu à crise financeira do quarto trimestre de 2008, ressaltando que enquanto ela engolfou o mundo desenvolvido, não afetou tanto o progresso econômico do Brasil. O país teve uma contração do PIB para 0,2% em 2009, mas o FMI já prevê uma retomada do crescimento para 5,5% esse ano.

A revista destaca que o crescimento constante, aliado ao declínio econômico das potências mundiais, elevou a autoconfiança do Brasil, cujo maior exemplo é o desejo de Lula de levar a influência do país além de suas fronteiras.

O autor do texto cita um analista sênior de política externa na Brookings Institution, uma organização de políticas públicas baseada em Washington, sobre o significado do movimento de Lula na cena internacional. “O Brasil deixou para trás seu passado de subserviência. Em vez de se tornar uma vítima da globalização, emergiu vitorioso para clamar um papel de liderança nas questões mundiais.”

Os nossos jornalistas que vivem criticando o papel do Brasil na resolução da questão nuclear iraniana bem que podiam ouvir os analistas de mercado, que estão longe de qualquer anti-americanismo que tentam enxergar na política externa brasileira. Queiram ou não queiram, o Brasil passou a ser um ator global de primeira grandeza.